Seguindo os passos mexicanos de Roberto Bolaño – Comentários sobre O Espírito da Ficção Científica

El burro A veces sueño que Mario Santiago Viene a buscarme con su moto negra. Y dejamos atrás la ciudad y a medida Que las luces van desapareciendo Mario Santiago me dice que se trata De una moto robada, la última moto Robada para viajar por las pobres tierras Del norte, en dirección a Texas, … Mais Seguindo os passos mexicanos de Roberto Bolaño – Comentários sobre O Espírito da Ficção Científica

O caleidoscópio noir de um Bolaño em formação. Ideias sobre A Pista de Gelo de Roberto Bolaño

Desde quando li 2666, me proponho a ler, pelo menos, um Bolaño por ano. É um dos poucos escritores a cuja obra me dedico de forma tão constante (alguns poderiam dizer obsessiva). Pois bem. O Bolãno de 2016 foi A Pista de Gelo, segundo romance do autor publicado originalmente em 1993 (o primeiro, “Senda dos … Mais O caleidoscópio noir de um Bolaño em formação. Ideias sobre A Pista de Gelo de Roberto Bolaño

A Lisboa de Fernando Pessoa em prosa e poesia.

Vez ou outra, escolhas para o próximo livro acontecem sem obedecer a nenhum planejamento ou lógica. Tenho o guia “Lisboa – O que o turista deve ver” há uns bons dez anos. Já havia aceito que seria um daqueles volumes que, como todo possuidor de bibliotecas, acabaria por não conhecer. Pois estava errado. Durante toda … Mais A Lisboa de Fernando Pessoa em prosa e poesia.

O fractal de anacolutos de Pula pula macacada que amanhã não tem mais nada.

“A gente tinha uma riqueza de fatos e protagonistas que fazia cada dia de CSB ser inesquecível.  De fato, era tudo tão expressivo que a mera introdução odo que eram esses tempos já geraria um conto à parte. Ou vários. As lembranças se multiplicam e atraem outras, num fractal de anacolutos”. CARNEIRO. 32 Songs ou … Mais O fractal de anacolutos de Pula pula macacada que amanhã não tem mais nada.

A Angola antes de si. Umas poucas linhas sobre A Sul, o Sombreiro.

Ganhei “A Sul, o Sombreiro”, um dos mais recentes livros do angolano Pepetela de presente de aniversário. Já havia lido o primeiro livro do espião Jaime Bunda, sua crítica ácida da sociedade angolana disfarçada de pastiche de agente secreto e gostara bastante. Sabendo que boa parte de sua obra tem pano de fundo histórico (seja … Mais A Angola antes de si. Umas poucas linhas sobre A Sul, o Sombreiro.

O tempus fugit de Dino Buzzati. Notas sobre O Deserto dos Tártaros.

Não havia ninguém que lhe dissesse: “Cuidado, Giovanni Drogo!” A vida parecia-lhe uma inesgotável, obstinada ilusão, embora a juventude já tivesse começado a perder o viço. Mas Drogo não conhecia o tempo. Ainda que tivesse diante de si uma mocidade de centenas e centenas de anos, como os deuses, isso também teria sido pouca coisa. … Mais O tempus fugit de Dino Buzzati. Notas sobre O Deserto dos Tártaros.

Jazz, política e boxe. Uma leitura sobre Alguién que anda por ahí.

Mauricio insistía en que empezaran otra botella de champaña y entre copa y copa bailaban en el salón pegajoso de humo de cigarro y medianoche, o quizá a Mauricio en ese momento en que Blues in Thirds les traía desde tan antes el recuerdo de los primeros tiempos, de los primores discos cuando los cumpleaños … Mais Jazz, política e boxe. Uma leitura sobre Alguién que anda por ahí.

Herança judaica, comunismo, violência e (só um pouquinho de) música: algumas notas sobre Contos de Odessa

“Mamãe estava pálida, tentava enxergar o destino nos meus olhos e olhou para mim com uma compaixão amarga, como se olha para um aleijado, porque só ela sabia como nossa família era infeliz”. Comprei “Contos de Odessa” por puro impulso. A edição baratinha da Penguin Companhia estava lá no caixa e acabei levando o simpático … Mais Herança judaica, comunismo, violência e (só um pouquinho de) música: algumas notas sobre Contos de Odessa

Solidão e nobreza em Hemingway – Um mínimo texto sobre O Velho e o Mar

“O velho pensava sempre no mar como sendo la mar, que é como lhe chama em espanhol quando verdadeiramente o querem bem. Às vezes aqueles que o amam lhe dão nomes vulgares, mas sempre como se fosse uma mulher. Alguns dos pescadores mais novos, aqueles que usam boias como flutuadores para suas linhas e têm … Mais Solidão e nobreza em Hemingway – Um mínimo texto sobre O Velho e o Mar