Porque hoje é Sábado – Roberto Bolaño

Não tinha programado repetir Roberto Bolaño tão pouco tempo depois do primeiro PQHES com um de seus poemas, mas, como hoje completam-se quatorze anos de sua morte, foi inevitável postar novamente um poema do chileno. Bolaño foi um homem de personalidade forte e vida errática e sua morte contribuiu imensamente para a criação do mito. … Mais Porque hoje é Sábado – Roberto Bolaño

Porque hoje é Sábado – Roberto Bolaño

Já que teve resenha do último lançamento do chileno Roberto Bolaño com tantas referências ao seu passado de poeta, nada mais justo do que dedicar o Porque Hoje é Sábado à sua poesia. “Bolaño migrou da poesia para a prosa por conta da fome” dizia José Peguero, poeta infrarrealista e amigo do autor de seus … Mais Porque hoje é Sábado – Roberto Bolaño

Seguindo os passos mexicanos de Roberto Bolaño – Comentários sobre O Espírito da Ficção Científica

El burro A veces sueño que Mario Santiago Viene a buscarme con su moto negra. Y dejamos atrás la ciudad y a medida Que las luces van desapareciendo Mario Santiago me dice que se trata De una moto robada, la última moto Robada para viajar por las pobres tierras Del norte, en dirección a Texas, … Mais Seguindo os passos mexicanos de Roberto Bolaño – Comentários sobre O Espírito da Ficção Científica

O caleidoscópio noir de um Bolaño em formação. Ideias sobre A Pista de Gelo de Roberto Bolaño

Desde quando li 2666, me proponho a ler, pelo menos, um Bolaño por ano. É um dos poucos escritores a cuja obra me dedico de forma tão constante (alguns poderiam dizer obsessiva). Pois bem. O Bolãno de 2016 foi A Pista de Gelo, segundo romance do autor publicado originalmente em 1993 (o primeiro, “Senda dos … Mais O caleidoscópio noir de um Bolaño em formação. Ideias sobre A Pista de Gelo de Roberto Bolaño